sexta-feira, 12 de janeiro de 2007

MARATONAS, RAIDES & AFINS



É comum designarem-se as provas de longa duração em BTT por “Maratonas”.

Não há, em minha opinião, nenhuma outra definição de "maratona" do que não seja a corrida que um soldado ateniense, Phidippides, fez, no séc. V a.C., da povoação do mesmo nome a Atenas, de 42.195 kms. para levar a nova da vitória na batalha contra os Persas.

A chamada "maratona moderna" é uma corrida de atletismo que percorre a mesma distância e serve para comemorar esse feito.

Obviamente que a semântica tem uma dinâmica incontornável e a palavra "maratona" serve, actualmente, para designar uma tarefa morosa, trabalhosa e até dolorosa talvez porque Phidippides morreu na sequência do acto.

Insere-se neste espírito a designação da "Maratona BTT" que se caracteriza por incursões longas que, à semelhança do atletismo, constituem um teste de dureza física e psicológica considerável.

Pessoalmente prefiro a designação de "raide".

Este termo, que também poderemos designar como "incursão", deriva do inglês "raid" e pode definir-se por um tipo de operação militar, próximo do conceito de operação irregular, com um intuito táctico específico mas sem intenção de conquistar território inimigo e após o qual o "grupo de ataque" regressa a território amigo.

Acho, assim, mais adequado àquele que é o espírito do BTT, não necessariamente castrense, mas indubitavelmente aventureiro, quantas vezes em autonomia e com um inevitável regresso a território amigo.

1 comentário:

Tools disse...

Concordo plenamente com a troca de maratona por raid. Já por exemplo o nome que se dá ao "Raid Setúbal - Odemira - Algarve", na minha modesta opinião ficava melhor como sendo "Travessia".
Neste evento como o pessoal faz para regressar? Se for sozinho onde se deixa o carro?

Um abraço.