quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Ciclismo Utilitário - Qual o pedal adequado?


Um dos motivos porque descobri os prazeres do ciclismo utilitário é, precisamente, porque este, além de outras vantagens, permite um treino físico de qualidade e com uma regularidade que, noutras condições, estaria impossibilitado de manter.

Para tanto a fórmula do vulgar pedal de plataforma não me satisfazia - superfície irregular, pé desapoiado (mesmo com as calas), sempre pronto a escorregar e, the last but not the least, rendimento miserável da pedalada potenciado por uma bicicleta com quase 17 kgs.

Aquela ideia romântica de ir pedalar de fato e gravata, ou até casual chic (apesar da bicicleta civilizada), não serve para mim. A bicicleta está bem apetrechada para a cidade mas, não trajando de licra, é necessária uma roupa adequada, prática e ligeira pelo que, os sapatos com cleats na sola não destoam, sobretudo se forem discretos.

Chegado ao local de trabalho altera-se o dress code e surge então o fato e gravata, com um sapato também a condizer. Naturalmente há dois ritmos de pedal um ante (aeróbico e não transpiratório) e outro post laboral (anaeróbico e fortemente empenhativo).

Que diferença fazem uns SPD!

2 comentários:

J09 disse...

Eu cá por vou mais numa solução mista: http://cycle.shimano-eu.com/publish/content/global_cycle/en/nl/index/products/pedals/mountain/product.-code-PD-M324.-type-pd_mountain.html

Miguel Barroso disse...

Pois eu há anos que deixei de usar pedais de encaixe na bicicleta urbana. Uns pedais de plataforma, com um perfil metálico bem trabalhado juntamente com uns clips sem correias, e consigo ter uma pedalada bem redonda como manda a ordem... com qualquer calçado!