segunda-feira, 15 de novembro de 2010

As Linhas de Torres revisitadas - Segunda Linha, Troço Forte da Casa - Montachique


Hoje assinala-se o duplo centenário da retirada francesa, junto às Linhas Defensivas de Torres Vedras, na terceira invasão comandada por André Masséna.

Já em ocasiões anteriores vos reportei, aqui, o reconhecimento efectuado das linhas de Torres para BTT. Foi ocasião, no sábado passado, de tornar a revisitar esses locais mágicos.

Assim, em conjunto com o Jorge Cláudio, percorri de novo o troço entre o Forte da Casa (Alverca) e o Cabeço de Montachique. Optámos por um traçado diferente e, em lugar da demolidora subida junto à CREL, subimos pela "antiga descida final" até aos bem conservados fortes da Serra da Aguieira (obras 40, 41 e 42) o que permitiu, no final, descer directamente da Mata do Paraíso até Vialonga.

Este troço é, provavelmente, o mais duro de todos pois nunca se consegue pedalar sem subir ou descer. Os números finais são eloquentes: 2300 metros de acumulado para 60 kms. de distância conseguidos à custa de um empenho demolidor.

Para um relato mais pormenorizado leia-se a descrição de 2006.

A grande surpresa foi a recuperação da emblemática obra n.º 38, Forte da Casa (nem pleno centro da  freguesia do mesmo nome) e o seu recém-inaugurado "Centro Interpretativo". Afinal ainda se respeita a História em Portugal - só me posso congratular com esse facto. Veja-se este video referente à cerimónia.

Nos próximos fins-de-semana seguir-se-ão os restantes 4 troços que compõem o conjunto das duas linhas.

1 comentário:

Vuck Roger disse...

Caro Pedro,

e por acaso tem o track desse percurso? gostava de o fazer, mas não conheço a zona.

Obrigado pela sua atenção!